6 de agosto de 2017

Crónica da Corrida em Paio Pires - 4 de Agosto de 2017

Integrada nas festas de Nossa Senhora da Anunciada, teve a Aldeia de Paio Pires, no concelho do Seixal, a sua tradicional corrida de touros. Organizada pela Comissão Taurina de Paio Pires, realizou-se a corrida na praça de touros desmontável de Ricardo Chibanga. Isto apesar de Paio Pires, contar com uma praça. Praça essa que se encontra em reconstrução, devido ao seu estado de degradação. Com a ajuda da afición paiopirense e o esforço da comissão taurina, espera-se que nas festas taurinas de 2018, a corrida já possa ter lugar na praça de touros. Convém ainda lembrar que esta praça é uma das três que existem no distrito de Setúbal. Que estão em, ou que tiveram, obras de melhoramentos a vários níveis.

Anunciados, estavam os cavaleiros, António Ribeiro Telles, Ana Batista, e Francisco Núncio. Como amador, fez parte do cartel, o jovem António Ribeiro Telles Jr., que toureou um novilho.

Os amadores de Lisboa, Montijo, e Póvoa de São Miguel, foram os grupos de forcados chamados a pegar a corrida.

Cinco touros e um novilho, eram as reses da Ganadaria de Lopes Branco,

Anunciados estavam também os troféus para a melhor líde e para a melhor pega.

ANTÓNIO TELLES
Por muito que se diga, está sempre tudo dito. António, é sem duvida um toureiro que se emprega. Independentemente da categoria das praças, dá de si o melhor que pode.

Toureou com mestria e saber. Colocou ferros de muito boa nota, frente a touros que pouco transmitiam, mas que serviram. E António esteve por cima, retirando tudo o que podia. Duas boas actuações que agradaram encantando o público.

ANA BATISTA
O carinho e os aplausos com que foi recebida, diz bem da simpatia que o publico nutre pela cavaleira de Salvaterra. Por infelicidade, o seu primeiro touro, ficou lesionado nos quartos traseiros, recolhendo aos curros depois de posta a ferragem comprida.

No segundo touro, Ana Batista encantou o publico. Toureou a gosto e com alegria, deixando ferragem de boa nota.

FRANCISCO NÚNCIO
A Francisco Núncio, coube a líde de apenas um touro, não sei bem porquê, mas esteve muito bem. Chegou ao publico com facilidade, toureou a gosto, e colocou ferros de boa nota. Agradou a sua prestação em Paio Pires.

ANTÓNIO TELLES JR.

Depois de o ver actuar em São Cristóvão, a expectativa era alguma para esta noite.

O mais novo da Torrinha, esteve muito bem. Claro que é amador, e que os seus estudos estão em primeiro lugar. Mas a vontade, a afición, e o gosto em fazer bem, estão lá. António Jr. tem tudo para vingar neste difícil mundo do toureio. Claro que seu pai, é o seu apoio e a grande ajuda. É o seu mestre na escolha do melhor caminho.

Esta noite, esteve com muito toureio. Arrimou-se e o publico pressentiu. Sendo por isso bastante ovacionado. Fruto também de alguma emoção que levou às bancadas, e do seu toureio limpo, da boa nota na colocação dos ferros. Terminando com um ferro de palmo. Temos toureiro

FORCADOS
Uma noite sem grande história. Touros que não complicavam, aproveitando os cabos dos grupos, para rodar a rapaziada mais nova. No fundo um treino em jeito de corrida.

Pelos de Lisboa, pegaram Vitor Epifânio à primeira, e Renato Avelar à terceira tentativa. Montijo, viu Gonçalo Costa e João Caçoete pegarem à primeira tentativa. E os da Póvoa de São Miguel, pegaram à primeira, por intermédio de Ruben Torrado.

De referir que a pega de Ruben Torrado, deveria de ter sido repetida. Isto porque o forcado saiu da cara do touro, tendo sido posto novamente pelo grupo. Não deveria o director de corrida ter permitido a volta.

No ultimo touro, e porque o grupo da Póvoa de São Miguel, apenas tinha pegado um touro, o grupo do Montijo convidou elementos dos da Póvoa. Tendo a ultima pega da noite sido feita pelos dois grupos.

TOUROS
Eu não chamaria touros, antes novilhos touros. Pois tinham todas as características de o serem. Por isso em vez de corrida de touros, deveria a organização, chamar de novilhada. Não que não tenham servido, mas para touro ainda lhes faltava um “bocadinho assim”. Tanto em peso como em apresentação.

PRÉMIO MELHOR LIDE E MELHOR PEGA

Os troféus entregues pela Comissão Taurina de Paio Pires, contemplaram o cavaleiro António Ribeiro Telles, para a melhor lide, e o forcado Vitor Epifânio, dos Amadores de Lisboa.

Nada a pontar na escolha do júri. Bem entregue ao cavaleiro e ao forcado. Aliás, qualquer um dos forcados que pegaram à primeira o poderia ter ganho. Todos bem e sem complicações.

Corrida dirigida pelo sr. Manuel Gama tendo o médico veterinário Dr. Carlos Santos como seu coadjuvante.
Compartilhar:
Anterior Proxima Inicio

0 comentários:

Enviar um comentário

Scroll To Top