22 de janeiro de 2015

Prótoiro - Temporada 2014 em Numeros











Análise dos Dados da Temporada 2014
.
Relativamente aos dados da temporada tauromáquica de 2014, verificaram-se em Portugal continental e ilhas 250 espetáculos. Destes, e analisando por tipologia de espetáculo, destacam-se as Corridas de Touros, com 66% do total dos espetáculos realizados.

Analisando a afluência de público às praças, no ano de 2014, registaram-se aproximadamente 454 mil espectadores. Face ao ano de 2013, destaca-se um aumento do número médio de espectadores por espetáculo, em particular nas corridas de touros, passando dos 2145 espectadores em 2013, para os 2240 espectadores em 2014, o que representa um aumento médio de aproximadamente 100 espectadores por corrida.

Comparando estes valores com outros tipo de actividades culturais, como por exemplo o cinema e o teatro, estes últimos ficam a uma grande distância dos números apresentados nas corridas de toiros. A título exemplificativo, o teatro tem um número médio de 126 espectadores por sessão (dados Pordata 2013), enquanto o cinema tem um número médio de 22 espectadores por sessão (dados 2013 Instituto do Cinema e Audiovisual).

Em 2014 foram transmitidas 7 corridas de toiros pela RTP1, um aumento significativo em relação às 3 transmissões de 2013, tendo estas transmissões registado um acumulado de 3 milhões de telespectadores, mostrando a grande adesão dos portugueses a este tipo de espectáculo.

A tauromaquia tem uma expressão nacional com espectáculos de norte a sul do país, passando pelos Açores. Realizaram-se espectáculos taurinos em todos os distritos, com excepção de Vila Real e a Região Autónoma da Madeira. A cidade com mais espectáculos realizados em 2014 foi Albufeira, com 22 espectáculos, seguida de Lisboa com 11 espectáculos e Angra do Heroísmo e Vila Franca de Xira com 8 espectáculos. No que concerne às corridas de toiros, Lisboa liderou com 11 corridas, seguida de Albufeira e Nazaré com 7.

Em relação à percentagem média de ocupação das praças, a região Norte lidera este indicador em Portugal continental com 70% de média de ocupação das praças, o que demonstra a grande popularidade da tauromaquia no norte do país. Os Açores registam a maior média de ocupação no país com uma média de 73%. Em termos de crescimento deste indicador, destacam-se a região de Lisboa com uma subida de 10%, seguindo-se o Algarve com 6%.

Analisando a média da taxa de ocupação das praças em corridas de touros por distrito, há a destacar os seguintes distritos: em 1.º lugar no ranking Aveiro com uma média de ocupação das praças de 94%, (representando uma subida de 38% face a 2013), em 2.º lugar os distritos de Braga e Guarda, com uma média de ocupação de 83%, , (o que representa uma subida de 26% face a 2013) e Bragança com uma média de ocupação das praças de 79% (o que representa uma subida de 14% face a 2013).

A tauromaquia contribui de forma muito positiva para o saldo da balança comercial (exportações – importações), já que em 2014 as exportações de touros de lide (207) superaram significativamente as importações (33). Em 2013 o valor das exportações foi de 139 touros. Esta variação anual das exportações, representa um aumento de 49%, pelo que este valor é comparável com os melhores resultados de outros sectores de atividade em Portugal no ano de 2014.

O escalafon de actuações de cavaleiros tauromáquicos foi liderado por Joaquim Bastinhas (54 actuações), seguido de Luís Rouxinol (52 actuações) e Sónia Matias (43 actuações). Nuno Casquinha e Paco Velasquez lideram o escalafon dos Matadores de Toiros com 3 actuações cada. Os Forcados Amadores do Ribatejo lideraram a sua categoria com 26 actuações, seguidos pelos Amadores de Cascais, com 23 actuações, e os Amadores de Vila Franca de Xira com 21. Josué Salvado, com 60 actuações, João Belmonte, com 53, e Ricardo Raimundo, com 52, ocuparam os primeiros postos do escalafon dos bandarilheiros.

Quanto às empresas, o ranking foi liderado pela Touros das Sesmarias com 22 espectáculos organizados, seguida da Sociedade do Campo Pequeno, com 17, e a Aplaudir com 16.

As ganadarias que mais lidaram em Portugal foram a ganadaria Murteira Grave, que lidou 59 toiros, seguida da ganadaria Passanha, com 57, e da Casa Prudêncio, com 43. Contabilizando as corridas lidadas fora de Portugal, o ranking ganadero é liderado pela ganadaria Passanha, com 80 toiros lidados, seguida da ganadaria Murteira Grave, com 59 toiros lidados, e da ganadaria Palha, com 48 toiros lidados.

Os Directores de Corrida com mais corridas dirigidas foram Agostinho Borges, com 36 espectáculos, João Cantinho, com 31 espectáculos, e Rogério Jóia com 29.

Em 2014 ocorreram 17 mudanças de categoria profissional, onde se destacam os novos cavaleiros profissionais Jacobo Botero, Miguel Moura, José Carlos Portugal e Filipe Ferreira.
Compartilhar:
Anterior Proxima Inicio

0 comentários:

Enviar um comentário

Scroll To Top